Tudo o que rolou no segundo show do RBD no Brasil

RBD no Brasil

O segundo dia de show do RBD no Brasil já começou cedo. Os fãs nem se recuperaram do primeiro show e já ansiavam na fila para o show de sexta-feira. Há relatos de muitos fãs que saíram do show na quinta direto para a fila, para já esperarem o próximo.

Durante a tarde, Maite Perroni fez um ensaio aberto com a presença de Christopher Uckermann, para alguns fãs que compraram a NFT do grupo, vendida no início do ano. Ela passou Empezar Desde Cero com os bailarinos, fazendo a alegria dos fãs que estavam ali presentes.

Nem o pequeno problema com os telões (que fez com que o show atrasasse cerca de 40 minutos) desanimou o público. Pela segunda noite consecutiva, Trás de Mi foi cantada em um coro ensurdecedor, numa energia que só RBD consegue proporcionar.

Entre os destaques do show (e diferenças para o primeiro), esteve:

– Christopher Uckermann usou o mesmo figurino usado por ele na Tour del Adiós em 2008 para sua performance de Inalcanzable. A nostalgia bateu forte!
– Christian Chaves, após uma performance emocionante de Tu Amor, puxou um coro cantando “Voando pro Pará”, hit de Joelma, levando o público à loucura com o seu “eu vou tomar um cacacá”.
– Anahí arrancou risos e lágrimas ao mesmo tempo, ao usar uma camisa escrita “Paris? Não, Rio!” nos agradecimentos de Sálvame. A camisa foi em referência a uma cena de Rebelde, onde Mia Colucci reclama em prantos para Alma Rey que seu pai deseja levá-la contra sua vontade à Paris em seu aniversário.
– A banda preparou uma surpresa e tocou Mas que nada, do Jorge Ben Jor. Levantando a plateia e botando nossos mexicanos para “sambar” no palco.

O RBD deixa o Rio de Janeiro com gostinho de quero mais e dois shows magníficos, que ficarão marcados no coração de todos que foram.

Você esteve lá? Comente o que achou! Clique aqui para saber mais sobre a turnê.

Classifique esta notícia:
5/5

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS RELACIONADAS